top of page
teamwork-making-online-blog.jpg

Iluminação externa: dicas e inspirações

A estação mais florida do ano vem aí, e com ela a nossa vontade de iluminar o jardim! 💚

Quando falamos de iluminação externa, é importante levar em consideração os dois principais enfoques: segurança e decoração. Além de garantir uma luz bonita, aconchegante, que valorize as plantas e os detalhes arquitetônicos, é necessário também proporcionar um ambiente seguro. Os produtos utilizados nos projeto devem estar de acordo com o índice de proteção adequado, visto que eles estarão expostos a fenômenos que os produtos internos não têm contato. Trouxemos alguns conceitos fundamentais e muitas inspirações para você começar a planejar hoje mesmo. Confira!


Iluminação externa para segurança

Quando falamos de iluminação externa para segurança, não estamos apenas considerando as fachadas residenciais, mas também as comerciais, os espaços públicos, as praças, etc. Um ambiente iluminado proporciona uma sensação de maior segurança em relação a assaltos, furtos ou demais abordagens que, no escuro, poderiam assustar. Além disso, existe também a questão da segurança física, no sentido de evitar acidentes pela ausência da luz adequada.


Algumas áreas precisam ser iluminadas

Você já foi em alguma casa na qual o(a) morador(a) ficou um bom tempo tentando abrir uma porta porque estava escuro? Provavelmente sim, né. Ou, ainda, tropeçou em uma calçada pois não enxergou o desnível? A iluminação externa tem esse papel importante de usabilidade e praticidade no dia a dia. Para evitar acidentes, alguns locais precisam de iluminação quase que obrigatória: escadas, caminhos, trilhos, rampas, desníveis, piscina, garagem, porta, corredor. Para esse tipo de iluminação, não tem jeito: é necessário avaliar bem o local durante a noite, para entender quais espaços precisam de luz.


Fluxo luminoso e durabilidade

Para locais em que a necessidade maior é de, efetivamente, uma iluminação bem clara, é importante utilizar uma lâmpada com fluxo luminoso forte. Ou seja, uma lâmpada com fluxo luminoso baixo, com uma temperatura muito quente, pode não ajudar muito quando o objetivo é clarear. Dessa forma, as lâmpadas de LED de temperatura fria são uma boa opção, tendo em vista inclusive a durabilidade desses materiais, que provavelmente ficarão ligados por muito tempo. Apesar de mais caras, como duram mais, as lâmpadas de LED são bastante econômicas nesses casos.


Inspirações com produtos Brilia para iluminação segura


Arandelas

São luminárias de parede, com iluminação indireta, ajudando na valorização dos contornos das plantas. São boas para iluminar passagens, varandas, muros e paredes ao redor do jardim.

Projeto The Hightlands (Eduardo Becker)

Embutidos no solo

Auxiliam na iluminação de caminhos, melhorando a segurança do local e evitando acidentes. Podem ser embutidas nas laterais, criando um trilho, ou no próprio chão.



Projeto Jardim da Deca (Armando Salvador e Thalita Vitachi) | Projeto Jardim das Casas (Roberto Riscala)

Projetores

São uma opção resistente, focada 100% em segurança, garantindo um ambiente mais claro. Têm tecnologia avançada, disponível em diversas potências.


Projeto The Hightlands (Eduardo Becker)

Iluminação externa decorativa


Diferentemente da área interna, a externa, no contexto humano, é quase infinita: ela vai até onde o horizonte alcança. Se pensarmos que temos condição de criar um projeto com tecnologia e automação, que possa interagir com a paisagem, isso se torna um conceito bastante amplo. Há poucos limites para a iluminação externa.” afirma Felipe Stracci.

Atenção com a temperatura de cor

Tudo depende de gosto pessoal. No entanto, de forma geral, se costuma utilizar uma temperatura de cor mais amarelada para destacar plantas, criando um efeito mais real. A luz branca, por sua vez, é mais usada com a intenção de clarear o local. Tons coloridos, como verde, também podem ser interessantes para realçar o jardim, mas devem ser utilizados com cuidado, evitando uma bagunça visual de tons.


Conheça as plantas do jardim

A principal vantagem de se conhecer a vegetação do local, segundo Felipe Stracci, arquiteto paisagista, é conseguir valorizar as texturas, cores, transparências e volumetrias das plantas. Colocar uma luz contra a folhagem e conseguir ver as saliências de uma folha causa um efeito muito surpreendente. Entender o crescimento das plantas também é indispensável para saber iluminá-las da melhor forma possível. Você pode iluminar uma planta pequena, por exemplo, sem ter o conhecimento do seu aumento de tamanho e, em um ano, você ter uma iluminação completamente equivocada.


Inspirações com produtos Brilia para iluminação decorativa


Balizadores

São materiais muito indicados para iluminar caminhos, degraus, escadas e outros elementos próximos do chão. É um efeito de iluminação que pode ser bastante funcional, com luz direcionada.



Para a área externa, as fitas de LED são Indicadas para iluminação indireta e decorativa. Podem ser instaladas em beirais, escadas, marquises, pilares, piscinas, etc. É importante ressaltar que, no mercado, também estão disponíveis fitas LED para uso em ambiente interno. Dessa forma, recomenda-se uma atenção dobrada para o índice de proteção do material, que pode causar acidentes graves se usado de forma inadequada.




Projeto Espaço Deca (Alex Hanazaki) |Projeto Bar do Jockey (Eduardo Franco Correia) | Projeto Casa Cosentino (Debora Aguiar)

Luminárias Espeto

Seu uso é focado nas plantas do ambiente, com uma iluminação mais direcionada. Podem ser colocadas em locais com forrações, pedriscos ou solo aparente. São muito flexíveis e fáceis de instalar.


Projeto Spazio Faria Lima (Eduardo Becker) |Projeto Coco Bambu Fortaleza Iguatemi (Beatriz Mapurunga)| Projeto Jardim das Casas (Roberto Riscala)

Mas, afinal, quais os materiais ideais para iluminação externa?

Para Felipe Stracci, não existe um tipo específico de lâmpada para a área externa, no entanto, é necessário entender se o índice de proteção do material está adequado com a função desempenhada. Nesses ambientes, costuma-se utilizar materiais com IP acima de 60. Para saber qual, exatamente, deve ser o índice do material, é necessário verificar se o local é uma varanda, com cobertura, por exemplo, ou o solo, passível de alguma submersão. No caso de projetos à beira-mar, que possam sofrer com a oxidação e a maresia, a negligência desse cuidado em relação ao IP pode ser um fator de deterioração.

As lâmpadas de LED são materiais excelentes para uso na área externa, considerando o baixo impacto para o meio ambiente. Além de sustentáveis, as lâmpadas LED têm uma frequência que não afeta a fauna. As lâmpadas de vapor de sódio atraem os animais para perto da luz, o que acaba fazendo com que eles queimem. Com o LED, isso não acontece. Ademais, elas ainda são mais econômicas, pois têm uma durabilidade maior, o que é fundamental principalmente nos casos em que a luz fica ligada durante toda a noite.


Como funciona o índice de proteção

Os ambientes externos estão sujeitos a ações de poeira, água e sólidos em geral. Portanto, é preciso garantir que os equipamentos irão funcionar mesmo nessas condições. Para isso, existe o grau de proteção (IP), definido internacionalmente pela norma IEC 60529: International Protection Rating. Ele indica a resistência do material ao ingresso de corpos estranhos.

Cada material tem o seu IP, que é composto por dois números. O primeiro é relacionado ao grau de proteção contra partículas sólidas, como a poeira, e o segundo contra líquidos, como a água. Quanto maior o número, maior a proteção. Se você utilizar na área externa um produto com IP12, por exemplo, a chance dele ser danificado em pouco tempo de funcionamento é bem grande. Leia sempre as instruções da embalagem.

Sobre Felipe Stracci

Fundador, ao lado de Luciana Pitombo, do Plantar Ideias, escritório desenvolvedor de projetos de arquitetura e urbanismo, com know-how botânico e paisagista, através de uma abordagem sensível sobre questões do meio natural, seja através de um mobiliário, um jardim ou uma cidade.


Projeto Paisagens de luz



Nesse projeto foi muito interessante que as pessoas iam para perceber a mudança de luz, e elas falavam que, assim como o slogan da Brilia (luz muda tudo), durante o dia era um espaço, à noite era outro. As pessoas puderam perceber a luz interagindo com o espaço, com elas, com as plantas.” Felipe Stracci

17 visualizações

Comments


Posts Em Destaque
Procurar por tags
Nenhum tag.
Posts Recentes
bottom of page