top of page
teamwork-making-online-blog.jpg

Cromoterapia: como a ciência das cores pode nos ajudar no dia a dia

A cromoterapia é muito aplicada como tratamento complementar para fins terapêuticos e até mesmo para algumas doenças. Quando o poder transformador da luz se une ao da cor, os resultados são incríveis, inclusive para o nosso corpo, mente e, consequentemente, nossa saúde. Mas quais conceitos desse estudo podemos aplicar de forma simples, no nosso dia a dia em casa? Confira!


Entenda o estudo das cores

Segundo a lighting designer Patricia Fernandes, especializada em neurolighting, a cromoterapia é a ciência que estuda as cores, seu comportamento no nosso organismo e a ação energética que elas possuem. Dessa forma, as cores são utilizadas para o equilíbrio físico, mental e espiritual. Os receptores da pele reconhecem a informação luminosa, a transformam em impulsos nervosos e transmitem para o sistema nervoso e endócrino. Cada cor tem sua vibração específica e capacidade terapêutica. Assim, o sistema nervoso é influenciado de acordo com os objetivos e características de cada indivíduo no tratamento.

Mas a técnica não é novidade: segundo um estudo dos pesquisadores do departamento de física da Universidade de Balochistan, no Paquistão, o uso da cromoterapia é tão antigo quanto o de qualquer outro remédio. Os egípcios utilizavam a luz do sol para a cura e, desde o ano 200 antes de Cristo, a cor tem sido investigada como medicina:

As pessoas daquela época certamente desconheciam os fatos científicos das cores como medicina, mas certamente tinham fé na cura com cores. Eles usaram cores primárias (ou seja, vermelho, azul e amarelo) para a cura, pois não sabiam da mistura de duas cores.”

Atualmente, a cromoterapia é realizada através de aparelhos que emitem luz de diferentes cores. Essa luz pode ser ambiente, em pontos específicos do corpo, ou, ainda, através de banho de imersão em piscina ou banheira de iluminação interna, dependendo do objetivo.


Benefícios da cromoterapia

Entre os benefícios da prática, estão o alívio de sintomas de dores relacionadas a doenças, melhora do bem-estar físico e mental, diminuição do cansaço, recuperação da qualidade do sono, auxílio no tratamento de dores de cabeça, estimulação do Sistema Nervoso Central e, consequentemente, melhora na circulação sanguínea. A cromoterapia possui aplicação abrangente: desde dor muscular, fibromialgia e depressão até efeitos colaterais de tratamentos de algumas doenças.

Existem diversas clínicas que aplicam as técnicas de cromoterapia. Ela é uma técnica reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma terapia complementar, desde 1976. Ou seja, é importante reforçar que esse tipo de terapia não substitui o tratamento médico, mas pode auxiliar e proporcionar maior conforto para pacientes em diversos sentidos.

Continuamente, a cromoterapia é vinculada à espiritualidade. Isso porque, quando aproveitamos momentos assim, de relaxamento, com ambiente adequado, iluminação propícia e demais aspectos favoráveis, somos conduzidos a um encontro com nós mesmos. Nesse contexto, passamos por uma experiência de autoconhecimento: paramos para entender o que estamos sentindo. O fato é que, por uma questão de saúde ou não, a cromoterapia proporciona muitos efeitos positivos para aqueles que praticam.


Cores e sensações

No estudo da cromoterapia, cada cor proporciona, em tese, um efeito diferente da outra. Normalmente, em um tratamento, mais de uma cor é utilizada. Essa escolha varia de acordo com o problema ou doença do paciente. Por exemplo, para dores musculares, a cor azul é altamente indicada, devido às suas propriedades anti-inflamatórias. Segundo os estudiosos no assunto, as cores de baixa frequência, como vermelho, alaranjado e amarelo, têm característica estimulante; e as cores de alta frequência, como verde, azul e violeta, têm característica mais tranquilizante.

Segundo a naturóloga Mariana Vitte, mais especificamente, as cores costumam ser utilizadas a partir dos seguintes conceitos:

  1. Verde: tem uma ação calmante, ajudando a promover o bem-estar físico e mental e estimulando a imunidade, sendo utilizada para tratamento de infecções;

  2. Azul: possui propriedades que atuam no sistema nervoso e muscular, sendo muito utilizada para combater problemas de sono ou de estresse;

  3. Vermelho: aumenta a energia e a adrenalina, sendo utilizada para ativar a circulação sanguínea e restabelecer o bom funcionamento do coração;

  4. Amarelo: estimula o sistema nervoso central, sendo utilizada para elevar a criatividade e melhorar o humor;

  5. Laranja: estimula o intelecto e promove energia, sendo muito utilizada para tratamento de depressão.

No entanto, a lighting designer Patricia Fernandes ressalta que os efeitos variam de acordo com a pessoa. Ou seja, cada indivíduo reage diferente às cores de luz. Por vezes, uma tonalidade que pode ser relaxante para um, pode representar estímulo para outro. A responsabilidade, portanto, de encontrar a tonalidade e a cor ideal para alcançar os objetivos desejados é do(a) profissional.


Levando a cromoterapia para casa

É possível se inspirar na cromoterapia e buscar a sensação proporcionada pelas cores dentro de casa. Entretanto, é necessário ressaltar que nenhum equipamento de uso caseiro substitui o tratamento realizado em clínicas, por profissionais qualificados. Mesmo assim, podemos buscar o bem-estar oportunizado através de uma alternativa mais econômica e simplificada, que é utilizar fontes de luz RGB, sempre se atentando para a qualidade do produto e fabricante.

O que você acha de aproveitar essa experiência com a nova Bulbo RGBWW Inteligente Wi-Fi LED? Com mais de 16 milhões de cores disponíveis, incluindo as tonalidades de branco quente, neutro e frio, é possível criar cenários e efeitos de iluminação incríveis, degustando 16 milhões de sentimentos diferentes!


32 visualizações

Comments


Posts Em Destaque
Procurar por tags
Nenhum tag.
Posts Recentes
bottom of page