top of page
teamwork-making-online-blog.jpg

Urban Jungle e o contato com a natureza

Que o contato com a natureza promove diversos benefícios para a saúde das pessoas e torna os ambientes mais agradáveis não é novidade. Já foram, inclusive, comprovados em pesquisas científicas, como nesse estudo realizado pela NASA, onde identificaram 19 plantas que melhoram a qualidade do ar.

Mas você deve estar se perguntando: como criar essa conexão com o verde vivendo na cidade urbana?


Estilo Urban Jungle

A vida urbana contemporânea faz com que estejamos sempre correndo e cada vez mais conectados com a tecnologia. Além dos novos hábitos, os apartamentos da era moderna também eram vistos como um limitador desse contato. Pois não possuem áreas externas, jardins ou hortas, como as casas térreas. Essa rotina levou o ser humano a desenvolver uma carência em relação ao contato com a natureza, seu verde e o bem-estar que ela traz.

Com o propósito de potencializar essa relação com a natureza e atenuar o estresse do dia a dia, o cultivo de plantas dentro de casa tem se tornado mais presente nos grandes centros urbanos. Os cômodos da casa foram tomados pelas plantinhas e o verde se tornou um item obrigatório na decoração.

O conceito, que consiste em incluir plantas e elementos naturais na decoração de ambientes internos, é chamado de Urban Jungle (Selva Urbana). E tem como objetivo levar o clima da natureza para dentro das moradias urbanas, proporcionando uma sensação de aconchego e bem-estar.

Nascido da necessidade do ser humano de se conectar com o meio ambiente e do quanto o verde pode ajudar a manter nossa saúde física e mental, esse estilo é muito mais do que um apelo estético. O Urban Jungle está ligado também à preocupação com a sustentabilidade no mundo.

A biofilia contemporânea

A biofilia, que significa o amor à natureza, ganhou ainda mais força nesse momento de pandemia. Pois as pessoas estão dando cada vez mais atenção para os cuidados pessoais e interpessoais. Esse cenário está sendo responsável por ações, materiais e estratégias que potencializam a sustentabilidade e o meio ambiente natural.


Podemos ver essa materialização nas mudanças realizadas através da arquitetura e decoração, como em revestimentos, mobiliários e iluminação, por exemplo. Para criar uma atmosfera baseada nesse conceito – selva urbana – utiliza-se luz com temperaturas de cor mais quentes (2700K ou 3000K), materiais naturais como madeira, pedras, assim como plantas em abundância.

O Urban Jungle é versátil e por isso permite mesclar o moderno com o rústico. Por exemplo, se você escolher uma decoração clássica ou minimalista, ainda assim é possível dar mais vida aos ambientes utilizando elementos naturais, como as plantas. Essa flexibilidade fez com que o estilo ganhasse visibilidade e espaço no mundo decorativo.

De acordo com a arquiteta e paisagista, Lilian Casagrande, uma dica para garantir o efeito de selva é trabalhar conjuntos de vasos e plantas com tamanhos variados. Assim, parece que o verde está abraçando o espaço.

Misturar a maior diversidade possível de espécies brincando com texturas, formatos e cores das folhas é fundamental! Vale trabalhar tanto com palmeiras de pequeno porte, se houver espaço, quanto somente com plantas em cachepôs nas estantes. Ou, com as versáteis “air plants”. Como as bromélias do gênero Tillandisia, que não precisam ser plantadas no solo e por isso podem ser encaixadas em qualquer cantinho bem iluminado.

Outra ótima maneira de construir uma selva urbana sem ocupar muito espaço é através dos jardins verticais. Super na moda, são versáteis e combinam com qualquer estilo de decoração. Tomando o cuidado de resolver todos os pontos técnicos e escolhendo os tipos certos de plantas, é possível instalá-los até em ambientes internos. Além das varandas de apartamentos, salas e banheiros costumam ser os cômodos que mais recebem esse tipo de jardim.

Iluminação artificial no cultivo indoor

Sabemos da importância da iluminação, sobretudo a luz natural, para a saúde e crescimento das plantas. Mas, quando se trata de um cultivo em ambientes internos nem sempre é possível contar com a luz solar. Nesse caso, a iluminação LED é uma ótima alternativa para iluminar o verde dentro de casa. Quando bem posicionadas, dão destaque às plantinhas, contribuindo muito no paisagismo e decoração do espaço.

Além disso, por transformar toda a energia demandada em luz e não em calor, as soluções em iluminação LED não esquentam e são muito sustentáveis. Então, enquanto as plantas ajudam a refrescar e renovar o ar do ambiente, as lâmpadas LED não contribuem para que o ambiente fique mais quente, o que acaba diminuindo o uso de ar-condicionado. Isso gera economia de energia e favorece o desenvolvimento das plantas, já que o ar-condicionado retira a umidade do ar natural. Evitando, assim, o ressecamento das folhas e raízes.


Implantando essa ideia

Se você gostou e quer saber como aumentar o contato com a natureza nos espaços internos da sua casa, escritório ou ambiente comercial, veja as dicas que o Felipe Stracci e a Luciana Pitombo do Plantar Ideias, separaram para lhe ajudar nesse processo:


Tipos de planta


Filodendro Xanadu (Philodendron Xanadu):

Para os fãs da estética Urban Jungle essa família é presença obrigatória nos espaços. Gostam de luminosidade, mas não necessitam de sol direto e solo úmido, o que viabiliza a presença dessa espécie em locais mais distantes das janelas. Nossa sugestão é misturar Filodendros com outras espécies de sombra, como por exemplo, as Marantas.


Filodendro Jiboia (Epipremnum pinnatum):

Pensando na praticidade e rusticidade necessária para habitar ambientes muito sombreados, a Jiboia pode ser plantada em pequenos vasos. Seu caule cortado pode ser colocado em um recipiente com água para obter um cultivo hidropônico. Com um crescimento robusto para os distraídos, essa planta é ideal para banheiros e salas escuras, podendo ser colocadas em prateleiras mais altas.


Antúrio Branco (Anthurium Andraeanum):

“Flores pra que te quero”! De fácil acesso e com custos muito acessíveis, os Antúrios permanecem floridos por tempo prolongado. Além disso, gostam de rega e quando bem cuidadas, com muito amor e carinho, podem se multiplicar facilmente. Suas flores podem ser encontradas em diversas cores e possibilidades de combinação. São perfeitas para a decoração de festas e eventos temáticos.


Lírio-do-Amazonas (Eucharis Grandiflora):

Desconhecida pelo grande público, mas muito presente nas casas de avós. Essa espécie, diferente dos Antúrios, precisa de um pouco mais de atenção. O Lírio-do-Amazonas apresenta uma linda volumetria em canteiros e vasos maiores, têm floração anual com flores brancas e levemente perfumadas. Sua estética de folhas brilhantes e sua baixa necessidade de luz tornam essa planta perfeita para bacias e tinas – vasos grandes que lembram cachepôs e barris – , no piso ou em suportes. Quando colocadas em acessos e pontos focais trazem elegância e um toque tropical para o seu ambiente.


Palmeirinha Bambu (Chamaedoreas elegans):

Elemento vertical no ambiente, essa espécie é indicada para quem busca destacar o verde de maneira ostensiva ao espaço. A Palmeirinha Bambu ajuda a remover gases tóxicos do ambiente e gosta de solo úmido e adubado. É indicado mantê-la à meia-sombra ou sob luz difusa para evitar o amarelamento das folhas. O ideal é adquirir essas plantas já com o tamanho desejado, pois seu crescimento é mais prolongado.


E aí, gostou das dicas? Agora você já pode criar uma conexão com a natureza dentro do seu lar.


2 visualizações

Comments


Posts Em Destaque
Procurar por tags
Nenhum tag.
Posts Recentes
bottom of page